A Clínica

A Implante Master, especializada em atender na área de implantodontia inaugurou de forma pioneira em 2005, um centro avançado de cirurgia com um plano inédito de assistência odontológica, foi montada em cima de um projeto audacioso para colocar no mercado odontológico uma empresa que seja a maior, melhor e mais acessível integradora de soluções na área de implantodontia, gerando soluções de alta qualidade e baixo investimento, que ao mesmo tempo satisfaça todos integrantes do sistema.

ESPECIALIDADES

  1. Implantodontia

    Implantodontia é um ramo da Odontologia que se destina ao tratamento do falta de dentes com reabilitações protéticas suportadas ou retidas por implantes dentários. . Ao redor do titânio ocorre osseointegração que é caracterizada pela formação de tecido ósseo que irá incorporar este material ao organismo. E, é extremamente importante, que o tecido ósseo mantenha-se preservado mesmo quanto o implante dentário seja submetido aos esforços mastigatórios.
    A integração óssea deve-se a incapacidade do nosso organismo em detectar o titânio intraósseo; devido a suas características bio-inertes (ao se expor ao ar, a superfície do titânio se transforma em óxido de Ti), não acontece à formação de tecido fibroso em volta do implante, permitindo assim o crescimento ósseo ao redor do mesmo, estando em contato íntimo osso e implante.
    O descobridor da osseointegração foi o médico sueco Per-Ingvar Brånemark. Hoje Bränemark reside no Brasil, mais precisamente em Bauru onde possui um centro de pesquisa em Implantodontia.
    Desde 1960 existiram vário tipos de implantes; porem os implantes radiculares ósseo-integrados foram os mais bem sucedidos com taxas de sucesso margeando os 95 % em cinco anos.
    Com a Implantodontia são feitas desde reabilitações unitárias ate grandes reabilitações totais fixas ou removíveis.
    Entre 3 e 6 meses após a instalação do implante de titânio pode ser iniciada a prótese. Um processo mais recente propõe a instalação rápida de dentes, chamada carga imediata.

  2. Check-up digital preventivo

    Você já imaginou nunca mais ter dor de dente, ou saber que seus filhos nunca terão? O Check-up Digital Preventivo foi desenvolvido para a odontologia e tem por finalidade prever futuras doenças nos dentes, antes mesmo de radiografias ou a olho nu.

    A cultura de prevenção em saúde tanto na área Médica, quanto na área Odontológica está a caminho. Para isso, a população mais informada deste país está entendendo através da consciência dos profissionais de saúde e da mídia ( TV, revista Caras, Exame, matérias de jornais, site UOL, Sônia Abrão, Pânico na TV, etc.) que a busca do saudável é fundamental para a longevidade e qualidade de vida.

    Se perguntarmos quem neste país tem costume de fazer Check UP anualmente, tanto da boca quanto do seu corpo em geral, talvez apenas 10% da população que investe em saúde, tenha plano médico (convênios) e além disso tenha a consciência para detectar problemas futuros ou no início responderiam que tem por hábito se prevenirem às doenças e tratá-las em estágio inicial.

    Se 30% deste país é doente, restaram 60% da população que acreditam ser saudáveis apenas pelo fato de não estar doente, com algum sintoma ou sinal de dor ou desconforto. Este é o equívoco para não se investir em saúde e/ou prevenção.

    com Check up Digital Preventivo as pessoas podem descobrir que estão com alguma doença em estágio inicial e terão a garantia que essa doença poderá ser tratada rapidamente evitado grandes sofrimentos, perda de tempo e altos custos.

    A prevenção é o futuro para área da saúde como um todo, e as novas tendências da Odontologia Moderna é o start para um novo cenário, de modo a agregar valores à cultura das pessoas e proporcionar uma vida mais saudável com mais qualidade e conseqüentemente longevidade. Mas para que isso ocorra, é fundamental uma nova mentalidade da classe Odontológica, aliando tecnologia de ponta e ciência.

    exame é feito através de uma microcâmera capaz de aumentar em até 60 vezes o tamanho do dente natural. É um exame que vem para complementar a Radiografia Digital de Boca Toda. Associando-se estes 2 exames analisa-se cada dente interna e externamente.
    Isso nos permite visualizar e diagnosticar problemas em seu estágio inicial o que possibilita a realização de microintervenções minimizando dor e stress.

  3. Prótese dentaria

    A prótese dentária (ou prótese dental) é a arte dental, ciência que lida com a reposição de tecidos bucais e dentes perdidos, visando restaurar e manter a forma, função, aparência e saúde bucal.
    O seu principal objectivo é a reabilitação bucal, em todas as suas funções: estética, fonética e mastigação. Repõe ou restaura de forma indirecta (por meio laboratorial)

  4. Laserterapia

    As aplicações de laser são tratamentos de última geração que estão sendo incorporados à Odontologia, na medida em que seus benefícios são comprovados por pesquisas e uso clínico em todo o mundo. Inicialmente utilizados em cirurgias, colocação de implantes e tratamento das gengivas, com objetivo de acelerar o processo de cicatrização, foram também utilizados para diminuir a sensibilidade dentinária e para eliminação de dores da ATM. Mais recentemente, sua grande aplicação tem sido seu uso como elemento fundamental na mais moderna técnica de clareamento dos dentes, com excelentes resultados, além de propiciar rapidez e eficácia na obtenção do clareamento, permitindo, inclusive, que o mesmo seja realizado integralmente em uma só sessão.
    Aplicado após o ato cirúrgico, causa uma bio estimulação dos decidos, estimulando a regeneração de tecidos moles e duros, o que melhora em muito o processo de ósseo integração dos implantes

  5. Cirurgia buco-maxilo-facial

    É uma especialidade Odontológica que trata cirurgicamente as doenças da cavidade bucal, face e pescoço, tais como traumatismos e deformidades faciais (congênitos ou adquiridos), traumas e deformidades dos maxilares e da mandíbula, cirurgias para correção de lesões da articulação têmporo ? mandibular, cirurgia ortognática (correção de deformidades da face).

    Indicações: em casos de tumores benignos e malignos, cistos dos maxilares, doenças provocadas por fungos ou vírus e manifestações associadas a doenças sistêmicas. As deformidades faciais incluem desde sequelas de doenças como o câncer, traumas severos, ou distúrbios do desenvolvimento, como o prognatismo (aumento dos maxilares), micrognatismo (diminuição dos maxilares) ou a combinação delas.

    Procedimento: existem vários tipos de procedimentos. Os mais comuns são as exodontias (extração de dentes) ou exodontias (extração de dentes não irrompidos), remoção de cistos do complexo maxilo-mandibular, retirada de tumores e correções cirúrgicas para adaptação de próteses ou implantes osteointegrados.

    Orientações: fazer todos os exames pré-operatórios. As cirurgias ortognáticas são realizadas em ambiente hospitalar, com recuperação total dos pacientes em torno de quatro a oito semanas.

  6. Clareamento

    Clareamento Dental, é um procedimento odontológico que visa melhorar a aparência dos dentes, proporcionando um “sorriso mais branco” e mais bonito.
    O Clareamento Dental pode ser realizado por qualquer pessoa?

    Sim, o clareamento dental pode ser realizado para clarear dentes hígidos, perfeitos, sem nenhuma restauração em resina composta e também em dentes com pequenas restaurações estéticas em resina composta. Porém os géis clareadores não exercem nenhum efeito sobre as resinas ou porcelanas. As únicas contra-indicações para o clareamento são para gestantes e pacientes com doenças gengivais, cárie ou qualquer outra patologia bucal..

    Posso fazer o clareamento sem consultar o dentista?

    Não é recomendado. É fundamental que todo paciente siga a orientação do seu dentista, que realizará a monitoração do tratamento de clareamento dos dentes do início ao fim. Não é recomendado adquirir produtos de clareamento em farmácias e drogarias, pois estes produtos não tem a mesma eficiência daqueles usados pelos profissionais e podem provocar efeitos secundários indesejados, como a sensibilidade com frio e quente, e nenhum resultado aparente.

    Quais são as técnicas disponíveis para clarear os dentes?

    Para a maioria dos pacientes, os dentes podem ser clareados de três maneiras:

    1. Em consultório: mínimo de duas a três sessões de 60 minutos cada (para manchas genéticas), com géis clareadores à base de peróxido de hidrogênio a 35%, ativados ou não por Laser ou Led.

    2. Em casa através do uso de uma moldeira pré fabricada na qual o cliente coloca um gel clareador à base de peróxido de carbamida (nas concentrações de 10, 15 ou 20%), por um período mínimo de 14 dias ou noites, dependendo do grau de manchamento dos dentes.

    3. Associação das duas técnicas acima citadas, com uma sessão em consultório + 7 a 10 dias usando moldeira + gel à base de peróxido de carbamida. Das 3 técnicas citadas, esta é a que apresenta os melhores resultados pois envolve o acompanhamento do profissional e os recursos necessários para bons resultados.

    Posso clarear os dentes que tenham coloração castanho-acinzentada?

    Esse tipo de mancha dental castanha ou marrom – escura associada ao cinza, ocorre nos pacientes que tomaram o antibiótico Tetraciclina durante a infância. Este medicamento tem uma molécula de coloração castanho-acinzentada, que se incorpora à dentina durante a sua formação, ainda na fase de germe, pigmentando-a de forma irreversível, conferindo uma cor desagradável aos dentes. As técnicas de clareamento dental não são suficientes para eliminar este tipo de mancha, porém consegue-se uma mínima melhora. Para resultados estéticos de excelência, pode-se lançar mão das facetas laminadas de porcelana.

    Ocorre algum dano às gengivas com o uso de gel de clareamento?

    Na maioria das vezes não. Alguns pacientes podem apresentar uma ligeira sensibilidade nas gengivas quando se utiliza o gel numa maior concentração, como por exemplo 20%. Caso isto ocorra, basta suspender a aplicação por uma noite. Sempre que ocorrer algum tipo de sensibilidade, entre em contato com seu dentista.

    O clareamento dental provoca enfraquecimento dos dentes?

    Essa ideia na realidade é um mito. Há uma infinidade de artigos científicos evidenciando que não ocorre enfraquecimento do esmalte e da dentina. A técnica de clareamento com moldeira + gel está consagrada desde os anos 80 e não provoca nenhum tipo de enfraquecimento dos dentes.

    Os géis clareadores danificam e/ou modificam a cor das restaurações de resina e coroas de porcelana?

    Não. Os produtos clareadores não alteram a cor dos materiais restauradores, apenas dos dentes. Sendo assim, após o clareamento torna-se necessário substituir as restaurações em resina e/ou porcelana.

    Os implantes odontológicos sofrem rejeição?

    Tanto os implantes confeccionados no metal titânio de cor prateada como os modernos implantes de zircônia, um tipo de cerâmica extremamente duro, são biocompatíveis com os tecidos ósseo e gengival. Assim, implantes dentários não sofrem rejeição do organismo.

    Como todo procedimento que depende da resposta biológica de cada indivíduo, pode haver falha no mecanismo de ósseo integração, mas nunca por rejeição aos materiais. Porém essas falhas são muito baixas, da ordem de 2% a 3% dependendo da região e do tipo ósseo. Esses dados têm muito embasamento científico, uma vez que existem inúmeras pesquisas que comprovam a eficácia e a durabilidade dos implantes dentários.

    A partir de que idade pode ser feito o clareamento?

    A partir dos 15 anos é aceitável, sem limite de idade.

    Quais recomendações devemos seguir durante o tratamento de clareamento dental. Posso tomar coca-cola ou tomar café?

    Veja abaixo o que não é possível fazer durante o tratamento de clareamento dental:

    1. Não fumar;

    2. Não tomar café, vinho tinto, suco de uva, chás escuros, refrigerantes à base de cola (Coca/ Pepsi);

    3. Não bochechar com soluções coloridas à base de álcool e clorexidina;

    4. Não ingerir alimentos com pigmentos fortes como o açaí, molho de tomate, a beterraba, etc.

    5. Informar o dentista caso haja sensibilidade dental ou gengival;

    Quais os efeitos colaterais do clareamento dental? Ocorre muita sensibilidade com frio?

    Após o quarto ou quinto dia de uso da moldeira + gel, pode ocorrer uma sensibilização dos dentes com frio, porém este incômodo passa com o tempo, não havendo a necessidade de tomar nenhum analgésico. São raros os casos de dor.

    A técnica de clareamento em consultório, com laser ou qualquer outro tipo de fonte luminosa (LED, halógena, arco de plasma), pode gerar maior sensibilidade, pois utilizam-se géis em concentrações maiores, de 25 a 38%.

    Um aspecto importante a ser considerado diz respeito à qualidade dos géis para clareamento utilizados, pois há géis no mercado que clareiam pouco e produzem muita sensibilidade devido à sua alta acidez (pH baixo), podendo em alguns casos levar os dentes ao tratamento de canal. Portanto cuidado ao escolher seu dentista e pergunte a ele se utiliza géis de boa procedência, de fabricantes consagrados no mercado.

    Quanto tempo dura um clareamento dos dentes? Os dentes escurecem depois de um tempo?

    A durabilidade do clareamento dental depende em sua maior parte dos hábitos alimentares, de higiene e da assiduidade do paciente ao consultório. Nos pacientes fumantes, que tomam muito café, refrigerantes à base de cola, chás escuros, vinho tinto, açaí, o clareamento dental dura pouco, tendo que ser repetido uma vez por ano para se manter. Os pacientes que não têm esses hábitos podem repetir o tratamento a cada dois ou três anos. É importante salientar que, quando os dentes clareados escurecem, nunca mais voltam à cor original. De qualquer forma, o clareamento dental tem a finalidade de trazer a beleza ao sorriso e é um procedimento muito comum da estética dental, recomendado a todos.

    Se você tem mais dúvidas sobre como fazer clareamento dental, entre em contato com a Clínica Implante MAster, especializada em implantes, próteses dentárias, estética dental e clareamento dental

  7. Radiografia digitalizada

    Nas radiografias digitais, as imagens são adquiridas por aparelhos de raios-X que, ao invés de utilizar filmes radiográficos, possuem uma placa de circuitos sensíveis aos raios X que gera uma imagem digital e a envia diretamente para o computador na forma de sinais elétricos.

    Os sistemas de radiografias digitais oferecem a possibilidade de obtenção de imagens com exigências de exposição muitas menos rigorosas do que os sistemas analógicos.

    No sistema de aquisição convencional as imprecisões em termos de exposição provocam normalmente o aparecimento de radiografias demasiado escuras, demasiado claras ou com pouco contraste, são facilmente melhoradas com técnicas digitais de processamento e exibição de imagem.

  8. Odontologia Estética

    Muitas possibilidades de tratamento, um objetivo: um belo sorriso!
    Atualmente a odontologia aliou em seus tratamentos, além do benefício de resolver e tratar os problemas bucais, o benefício da estética, ou seja, a estética odontológica passou a ser uma área que exige do profissional não só habilidade manual, mas também comprometimento com as expectativas estéticas do paciente.
    As técnicas e materiais atuais permitem ao profissional de odontologia estética, modificar os dentes em seus formatos, cores, posicionamentos e até mesmo substituí-los quando os mesmos foram perdidos, mantendo ou devolvendo para as pessoas a harmonia do sorriso com uma aparência natural.
    Veja agora alguns procedimentos da Odontologia Estética:eiro

    Nem todos os dentes podem ser clareados, apesar de o clareamento conter poucas contra- indicações há casos onde não se recomenda sua aplicação. Por exemplo, podemos citar os pacientes fumantes ou dentes que já contem grande quantidade de resina, onde o tratamento não será eficaz.
    Restaurações e facetas estéticas em resina ou porcelana

    São inúmeras as reclamações das pessoas em relação à aparência de seus dentes, tanto para aquelas causadas por doenças ou má formações (dentes tortos, formatos “estranho”, etc), como também por efeitos estéticos ruins causados por tratamentos odontológicos (restaurações escuras feitas de amálgama ou ligas metálicas, restaurações antigas e manchadas, faixa escura na gengiva em próteses antigas, etc).
    A tecnologia de desenvolvimento de novos materiais proporciona a substituição de restaurações metálicas por restaurações estéticas em resina ou porcelana. Próteses e coroas podem ser atualmente confeccionadas em porcelana sem a presença de metais deixando um aspecto mais natural nos dentes e conseqüentemente no sorriso, sem que outras pessoas percebam.
    As facetas laminadas em porcelanas são técnicas estéticas onde, através de um pequeno desgaste na estrutura dental, coloca-se uma “capa” de porcelana para alterar o formato e alinhar os dentes, alterar a coloração dos dentes deixando um sorriso mais harmônico. Todo tratamento estético pode estar associando á técnicas de clareamento dos dentes para melhorar a colocação dos dentes melhorando o resultado final.

    A vantagem da porcelana está na semelhança com o dente natural, manutenção da cor prolongada, manutenção do brilho e resistência.

  9. Endodontia

    É a especialidade da odontologia responsável pelo estudo da polpa dentária, de todo o sistema de canais radiculares e dos tecidos periapicais, bem como das doenças que os afligem. Em casos de alterações por cárie, fraturas dentárias, trauma dentário, trauma ortodôntico, lesões endo-periodontais, necessidades protéticas e outras patologias endodônticas, o tratamento endodôntico (ou o tratamento de canal) está indicado, visando a manutenção do dente na cavidade bucal, e a saúde dos tecidos periapicais.

  10. Dentisteria

    Dentística ou odontologia estética é o ramo da odontologia que atua na área da cosmética e restauração dental. Entre outros serviços, os profissionais desta especialidade tratam de clareamentos dos dentes, uso deresinas diretas, peeling gengival, facetas e restaurações estéticas.
    O seu principal foco é a estética, ainda que a restauração de dentes também seja uma medida importante para a saúde individual, já que a permanência de cáries pode causar problemas a vários níveis, além de criar problemas na mastigação dos alimentos.
    Pesquisa os vários tipos de preparações dentárias, a relação dos materiais restauradores com a estrutura dentária e o resto do organismo, técnicas restauradoras, etc. Tornando possível ao cirurgião-dentista restaurar de forma direta ou indireta a estética e a função dos dentes comprometidos.

  11. Ortodontia

    A Ortodontia é a especialidade da Odontologia relacionada ao estudo, prevenção e tratamento dos problemas de crescimento, desenvolvimento e amadurecimento da face, dos arcos dentários e da oclusão, ou seja, disfunções dento-faciais.
    Temos hoje aparelhos mordenos como os auto ligados:
    O que é aparelho autoligado?
    Aparelho autoligado é aquele no qual as próprias “pecinhas” (bráquetes) possuem um clipe que prende o fio a própria peça. Ou seja, esse clipe do bráquete exerce a função da famosa borrachinha colorida. O aparelho autoligado não usa a borrachinha colorida para prender o fio ao bráquete.

    Foi descoberto que a “borrachinha colorida” era uma espécie de obstáculo à movimentação dentária, ou seja ela oferecia um certo atrito, fricção… O autoligado então apareceu para melhorar a movimentação dos dentes.

    É verdade que o tratamento termina mais rapidamente?
    Sim… Se houver colaboração por parte do paciente e o dentista dominar a técnica. Não pense que aparelho autoligado é só colocar que ele resolve tudo sozinho. É necessário atenção e cuidados. As peças podem soltar ao comer algo duro, o arco pode sobrar lá atrás e furar a boca…

    As consultas podem ser mais demoradas?
    Sim, o intervalo entre uma consulta e outra pode ser de um a dois meses. Mas o ideal é um bom acompanhamento, pelo menos de 40 em 40 dias para ver se tudo vai bem, tal como escovação, movimentações dentárias, se está tudo conforme o planejado.

    Dói menos?
    Como o atrito é menor, dói um pouco menos. Mas não é do jeito que você imagina.

    Custa mais caro?
    Como se trata de um tipo de tratamento um pouco mais sofisticado, custa um pouco mais caro. O aparelho e as manutenções.

    É verdade que junta menos resíduos em volta dele?
    É verdade. Isso porque não há as borrachinhas (anel elástico de ligadura), que acumulam muitos resíduos. Mas há de se tomar muito cuidado com a escovação, pois os resíduos acumulam em volta das peças e se a escovação for ruim, ocorre a descalcificação (manchas brancas).

    É verdade que o aparelho autoligado evita extrair dentes?
    Esse tipo de aparelho provoca uma certa expansão na arcada dentária. Há casos em que essa expansão resolve o problema de espaço. Mas há casos que não, e há necessidade de se extrair dentes. Aparelho autoligado não faz mágicas. O ortodontista tem que pensar na saúde dos dentes e das gengivas.

    O caso do paciente é planejado na documentação ortodôntica, com avaliação dos espaços necessários para alinhamento dos dentes e análise do perfil ósseo e mole (fotos). Não seria indicado uma expansão violenta no arco, para acomodar todos os dentes e evitar extrações. Isso comprometeria o perfil da pessoa. Além do que expansões demasiadas nos arcos não possuem estabilidade (ou seja, há possibilidade de voltar a ser tudo como era antes, depois de tirar o aparelho).

    Não pense que esse tipo de aparelho é milagroso. É muito semelhante ao tradicional, que usa as borrachinhas. Pode sair, espetar, machucar. Tem que comer alimentos leves. Tem que escovar com cuidado, usar fio dental. Existem os bráquetes metálicos e os estéticos.

    O que nivela os dentes é o fio e não o bráquete. Se o bráquete não for colocado na posição correta, pode “entortar” o dente. Os fios usados atualmente e que aceleram o tratamento são os de níquel -titânio e os termo ativados.

    O tratamento termina um pouco mais rápido que o tradicional, por não haver atrito. Mas a colaboração do paciente continua sendo o fator mais importante.

  12. Periodontia

    O que é periodontia?
    Periodontia, periodontologia ou raspagem é o tratamento que visa a cura de processos inflamatórios e infecciosos da gengiva.
    A gengiva é o tecido que reveste o osso que sustenta os dentes. Em virtude da má higiene, do fumo, do stress, da baixa imunidade e de maus hábitos alimentares, a gengiva fica fragilizada às infecções decorrentes de bactérias.
    Por que realizar um tratamento de periodontia?
    Remoção de placa bacteriana e cálculos dentários;
    Diminuição do grau de infecção bucal;
    Salubridade dos tecidos;
    Cura do processo inflamatório / infeccioso;
    Desaparecimento da supuração e do sangramento gengival;
    Melhoria estética das regiões com retração gengival;
    Prevenção contra doenças que provocam perda de dentes.
    Como é o tratamento periodontal?
    No tratamento de peridontia serão realizadas sessões de raspagens que podem ser manual ou através de aparelhos de ultrassom. O tempo e o resultado do tratamento dependem do grau da doença periodontal, sendo necessário sessões básicas, moderadas ou avançadas.
    Qual o risco de eu não realizar o tratamento periodontal?
    Problemas gengivais não tratados podem levar a:
    Perda dental;
    Perda do osso alveolar e consequente dificuldade em futuros tratamentos protéticos;
    Infecções por bacteremia;
    Prejuízo estético do sorriso: dentes alongados e espaços abertos (diastemas);
    Mau hálito.

  13. Odontopediatria

    A odontopediatria é o ramo da odontologia que cuida da saúde bucal das crianças. Hoje sabemos que o grande medo que as pessoas têm de enfrentar a cadeira do dentista é devido às experiências negativas que tiveram quando crianças. Por esse motivo, o trabalho do odontopediatra é tão importante.
    São eles os responsáveis pela higiene não só das crianças que já tem dentinhos, mas também dos bebês e das gestantes. Aliás, as mães devem procurar esses profissionais ainda durante a gravidez, enquanto ainda tem um tempinho sobrando, para se informar sobre os cuidados que devem ter a partir do nascimento.
    O tratamento para crianças também requer cuidado especial. Os pequenos precisam de maior atenção e psicologia para que a visita ao dentista não vire uma tortura. O ambiente também deve ser atrativo, ajudando a criança a se sentir confiante e descontraída.
    É importante que os pais conversem com o odontopediatra sobre qualquer experiência ruim que a criança tenha tido para que o profissional saiba ajuda-lo a lidar com esse medo e o tratamento ocorra da melhor maneira possível.

  14. Odontogeriatria

    Especialidade da odontologia que trabalha com pacientes com mais de 60 anos, que tem como objetivo a integração social, psicológica, funcional e preventiva de doenças bucais que podem aumentar os riscos de doenças sistêmicas em idosos.

    Essas doenças acontecem durante o processo de envelhecimento, como, por exemplo, a osteoporose, artrite, artrose, diabetes, incluindo, nessa categoria, os problemas cardiovasculares e endócrinos. Não podemos esquecer das doenças crônicas neurodegenerativas que atingem a terceira idade, como mal de Alzheimer, demências e doença de Parkinson. Daí a importância da especialidade. Estes idosos também estão retendo seus dentes e necessitam de cuidados especiais e de profissionais especializados para lidar com essas doenças”.
    Cuidados especiais
    Existem quatro categorias de idosos: os independentes, os parcialmente dependentes, os totalmente dependentes e os paliativos (pacientes cuja ciência já esgotou seus recursos). Problemas como hipertensão arterial, diabetes e doenças cardíacas são comuns nessa fase da vida e podem resultar em complicações sérias se não forem levadas em conta. Por isso mesmo, médicos e dentistas devem manter um diálogo freqüente, pois, no caso de cirurgia, por exemplo, o dentista deve comunicar ao médico e se informar sobre o estado geral de saúde do paciente.
    Prevenção e dieta
    A importância dos dentes nos dias atuais, também vai além da mastigação, pois interferem também na fonética. Além disso, a sociedade moderna não mais aceita o desdentado ou pessoas com estética facial alterada por dentes mal-cuidados ou ausentes.
    A higienização diária e a visita regular ao dentista (de 6/6 meses) são fatores decisivos na manutenção da saúde bucal como um todo, evitando assim as doenças orais crônicas presentes no idoso: cáries de raiz, xerostomia (boca seca), atrição/abrasão (bruxismo), lesões da mucosa oral (candidíases, leucoplasias, etc), câncer oral, doenças periodontais, entre outras.
    A dieta também é de extrema importância e deve ser à base de carnes, frutas, verduras, legumes, cereais e fibras. Deve-se evitar o consumo de doces e refrigerantes.
    O periodonto, que engloba as estruturas de suporte do elemento dental, pode, com a idade, sofrer um decréscimo no seu conteúdo de fibras, mas não há uma correlação clínica positiva e somente sob condições patológicas adversas (placa, cálculo, trauma oclusal, por exemplo).

    A função imune, que pode variar muito entre as pessoas de 3ª idade, sofre com o tempo de vida uma perda funcional que compromete, por exemplo, a resistência às infecções, também pela diminuição da capacidade reprodutiva das células T, criadas no início da adolescência. Nos anticorpos IgG, IgA e IgM dos idosos observa-se um decréscimo do número encontrável na saliva.
    Em função das alterações neuro-musculares associadas ao envelhecimento, mudanças na ingestão de alimentos podem ocorrer como a aspiração, mastigação incompleta, refluxos ou inalação dos mesmos.
    A tonicidade da musculatura da língua é outro aspecto que acaba por criar mais um fator de readaptação das pessoas idosas, para conseguirem que o bolo alimentar possa atingir o estômago de forma mais adequada.
    Mas não foi obtida uma correlação da idade com a capacidade gustativa, por ser esta um fenômeno complexo que envolve a sensibilidade olfativa, tátil e a capacidade cognitiva, como, por exemplo nos alimentos salgados, onde a condição gustativa da ponta da língua era maior nos jovens que nos idosos.
    O decréscimo do fluxo salivar com a idade é um fato comprovado por diversos estudos (e suas implicações diretas com a capacidade de adaptação às próteses e as decorrentes queixas dos pacientes idosos após suas instalações) e que pode ser enormemente potencializada pelas medicações (e suas interações) já que o idoso acaba por usar diferentes fármacos no seu dia-a-dia.
    Outro aspecto geralmente observado no idoso é a halitose, muitas vezes citada pelo paciente como tendo origem odontológica. Após um programa de limpeza da cavidade bucal, higienização e bochechos com clorhexidina, se não forem observadas melhoras, deve-se procurar por causas esofágicas ou gastrointestinais.
    O fato de não ter seus dentes tratados, ou a ausência de Prótese Total ou de uma Prótese Parcial Removível adequada, aguça um sentido de mutilação que é característico da idade avançada. Seja na família, no trabalho ou nos ambientes sociais, o idoso não deve ter restrições de sorrir, falar ou selecionar alimentos adequados à sua condição funcional de mastigação.
    Há uma diminuição natural na secreção dos sucos gástricos com a idade, por isto o preparo correto do bolo alimentar na boca é primordial.

    A moderna prática da Odontologia com a geriatria comunga dos mesmos ideais da Medicina em tornar o idoso um ser feliz em uma fase tão importante de sua vida, mantendo ou restabelecendo a vital integridade do Sistema Mastigatório.

veja mais

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Clientes Satisfeitos